CALA A BOCA JÁ MORREU! |
2021

CALA A BOCA JÁ MORREU!

Intervenção sonora e visual

Biblioteca Mario de Andrade, em São Paulo.

2021

Cala a boca já morreu! é um projeto que acontece desde 2019 em espaços públicos como ruas, praças e outros ambientes de convivência, nos quais a artista conversa com mulheres, individualmente ou em grupo, fazendo-lhes a pergunta “O que você não quer mais calar?”. Das conversas são recolhidas frases que explicitam as demandas e desejos destas mulheres, fotografadas, em seguida, com o cartaz contendo a frase escolhida por elas.

Durante 2019, foram fotografadas cento e uma mulheres em quatro diferentes espaços. Duas ações aconteceram na Rua Maria Antonia; uma na Ocupação 9 de Julho; uma na Casa das Rosas, todas em São Paulo; e uma no Campus da Universidade de Colônia, na Alemanha. Sessenta e nove destas fotos foram transformadas em desenhos, mostrados em instalações, entre 2019 e 2020, no Centro Universitário Maria Antonia e na mostra do Prêmio Marcantonio Vilaça, no MAB-FAAP, Museu de Arte Brasileira, em São Paulo.

Na Biblioteca Mário de Andrade o projeto inicial se desdobra em uma intervenção sonora e visual, com caixas de som instaladas no jardim, e a frase Cala A Boca Já Morreu! adesivada nos vidros da fachada.

As caixas de som ecoam as frases das 101 mulheres que conversaram com a artista em 2019 gravados por 101 mulheres, mulheres-trans e travestis, em 2021.

Paralelamente à intervenção, a artista faz uma pesquisa no acervo da biblioteca, atualmente com acesso restrito ao público por conta da pandemia. A pesquisa tem como foco livros de temática feminista escrito por mulheres, dos quais serão retirados trechos sobre silenciamento feminino. Um recorte temporal se fez necessário, pois o acervo é bem amplo. Serão consultados livros publicados no Brasil entre 2010 e 2020 com o intuito de produzir uma publicação com excertos destes livros, um resumo do projeto original e um texto crítico, escrito por Galciani Neves, professora e curadora do Museu Brasileiro de Escultura. A publicação será doada à biblioteca e servirá como um índice remissivo sobre o tema a ser consultado pelos visitantes.

 

Cala a boca já morreu*

* The original title in Portuguese comes from a saying “Cala a boca já morreu, quem manda na minha boca sou eu” which means literally: “Shut Up” is Dead, I Am the One Who Commands my Mouth.

Sound and visual intervention

Biblioteca Mario de Andrade, São Paulo.

2021

Cala a boca já morreu is a project that has been going on since 2019 in public spaces such as streets, squares and other social environments, in which the artist talks to women, individually or in groups, asking them the question “What is that you don’t want to silence anymore?” From these conversations, phrases were chosen that make explicit the demands and desires of these women, subsequently photographed with a cardboard sign which reads the selected phrase.

During 2019, one hundred and one women were photographed in four different spaces. Two actions took place on Maria Antonia street, one in Occupation 9 de Julho, one at Casa das Rosas, all in São Paulo; and one on the Campus of the University of Cologne, Germany. Sixty-nine of these photos were turned into drawings, shown in installations, between 2019 and 2020, at the Maria Antonia University Center and at the Marcantonio Vilaça Award show, at Museu de Arte Brasileira, in São Paulo.

At the library, the initial project unfolds into a sound and visual intervention, with speakers installed in the garden, and the phrase Cala A Boca Já Morreu! stuck on the glass windows of the facade.

The speakers echoed the phrases of 101 women who spoke with the artist in 2019, recorded by 101 women, trans-women and transvestites, in 2021.

At the same time the artist carried out a research in the library´s collection which currently bears a restricted access to the public due to the pandemic. The research was focused on feminist-themed books written by women, from which excerpts on female silencing were taken. A time frame was necessary, as the collection is quite large. Books published in Brazil between 2010 and 2020 were consulted in order to write a publication containing excerpts from these books, a summary of the original project and a review, written by Galciani Neves, professor and curator of the Museu Brasileiro de Escultura. The publication was donated to the library and serves as an index on the topic to be consulted by visitors.

Scroll Up