Conversa silenciosa - em parceria com Daniele Marx | Silent Conversation - in partnership with Daniele Marx
desde 2017 | since 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Conversa Silenciosa
Ação-encontro, em parceria com Daniele Marx

Dani e eu nos conhecemos em 2004 durante a residência artística Change of Home, em Dortmund, na Alemanha. Ela, artista brasileira, vivendo na Europa; eu, no Brasil. Éramos as únicas sul-americanas a participar desta residência. Durante o período de trabalho na Alemanha nos ajudamos mutuamente no desenvolvimento de nossas pesquisas e nas reflexões sobre nosso processo artístico. Após o programa, começamos uma amizade duradoura e encontramo-nos diversas outras vezes, desde então, em diferentes cidades: Barcelona, Tilburg, Amsterdam, Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro. Em todos os encontros aconteceram trocas e parcerias entre nós, além de participações conjuntas em mostras, palestras e intervenções urbanas de uma ou de outra, até que nos encontramos novamente em Paris em 2017. Nesta ocasião, decidimos realizar um trabalho em parceria, que se daria como uma ação (o encontro) no espaço público (o lugar). Munidas de um bastão de giz branco cada uma, escolhemos uma calçada e a preenchemos com palavras vindas ao acaso, ora de uma, ora de outra, numa conversa silenciosa e efêmera. Palavras cruzadas, entremeadas, entrelaçadas. As palavras, em português causaram estranhamento nos transeuntes que paravam para tentar ler e entender o que estava escrito.

A partir dessa experiência, combinamos que todas as vezes que nos encontrarmos vamos refazer a ação.

As Conversas silenciosas foram realizadas, desde então, em Paris (maio de 2017), Amsterdam (março de 2018), São Paulo (abril de 2018) e Colônia (outubro de 2018).

Este é um trabalho em processo e deve se repetir até que nossos corpos e mentes o desejem, aqui, ali, em qualquer lugar.

Scroll Up