Conversa silenciosa - em parceria com Daniele Marx | Silent Conversation - in partnership with Daniele Marx
desde 2017 | since 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Paris, 2017

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

Amsterdam 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

São Paulo, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Colônia, 2018

Conversa Silenciosa
Ação-encontro, em parceria com Daniele Marx

Dani e eu nos conhecemos em 2004 durante a residência artística Change of Home, em Dortmund, na Alemanha. Ela, artista brasileira, vivendo na Europa; eu, no Brasil. Éramos as únicas sul-americanas a participar desta residência. Durante o período de trabalho na Alemanha nos ajudamos mutuamente no desenvolvimento de nossas pesquisas e nas reflexões sobre nosso processo artístico. Após o programa, começamos uma amizade duradoura e encontramo-nos diversas outras vezes, desde então, em diferentes cidades: Barcelona, Tilburg, Amsterdam, Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro. Em todos os encontros aconteceram trocas e parcerias entre nós, além de participações conjuntas em mostras, palestras e intervenções urbanas de uma ou de outra, até que nos encontramos novamente em Paris em 2017. Nesta ocasião, decidimos realizar um trabalho em parceria, que se daria como uma ação (o encontro) no espaço público (o lugar). Munidas de um bastão de giz branco cada uma, escolhemos uma calçada e a preenchemos com palavras vindas ao acaso, ora de uma, ora de outra, numa conversa silenciosa e efêmera. Palavras cruzadas, entremeadas, entrelaçadas. As palavras, em português causaram estranhamento nos transeuntes que paravam para tentar ler e entender o que estava escrito.

A partir dessa experiência, combinamos que todas as vezes que nos encontrarmos vamos refazer a ação.

As Conversas silenciosas foram realizadas, desde então, em Paris (maio de 2017), Amsterdam (março de 2018), São Paulo (abril de 2018) e Colônia (outubro de 2018).

Este é um trabalho em processo e deve se repetir até que nossos corpos e mentes o desejem.

 

Silent Conversation

An action-encounter in partnership with Daniele Marx

Dani and I first met in 2004 during the art residency Change of Home in Dortmund, Germany. She was a Brazilian artist, living in Europe; myself, living in Brazil. We were the only South Americans to take part in this residency. During this period of work in Germany, we helped each other develop our research and reflect on our artistic process. After the program, we began an enduring friendship and have met many times since in diverse cities: Barcelona, Tilburg, Amsterdam, Porto Alegre, São Paulo and Rio de Janeiro. In all these encounters, we would engage in exchanges and partnerships between us, as well as joint participations in shows, talks and urban interventions by her or me, until we met again in Paris in 2017. This time we decided to work in partnership on an intervention in the form of an action (the encounter) in public space (the place). Equipped with a stick of white chalk each, we chose an area of sidewalk and filled it with whatever words came to mind, first one of us, then the other, in a silent and ephemeral conversation. Crosswords, interspersed and interconnected. The words in Portuguese puzzled passers-by as they stopped and tried to read and understand what was written.

After this experience, we agreed that each time we met subsequently we would reperform the action.

Since then, Silent Conversations have happened in Paris (May 2017), Amsterdam (March 2018), São Paulo (April 2018) and Cologne (October 2018).

This is a work in process and will be repeated for as long as our bodies and minds desire so.

Scroll Up